Seria Kali, minha mãe, realmente negra?
Essa mulher nua, da cor mais escura,
Ilumina o lótus do coração

As pessoas dizem que Kali é negra
Mas minha mente diz que ela não é assim
Como pode ser escura, se ilumina o mundo?

Às vezes, ela é branca,
Noutras vezes, ela é azul
E, noutras, é amarela ou vermelha

Eu não sei quem ela é
Eu não sei com que ela se parece
Passei minha vida tentando entendê-la

Às vezes, ela é o Absoluto
Às vezes, é o Relativo
E, noutras ainda, ela é sem forma

Pensando em tudo isso,
Kamalakanta, o poeta,
Acabou enlouquecendo…

*****

Shyama Ma ki amar kalo re
Shyama Ma ki amar kalo

Loke bole Kali Kalo
Loke bole Kali Kalo
Amar mon to bole na kalo re
Shyama Ma ki amar kalo re
Shyama Ma ki amar kalo

Shyama Kokhono Swheto
Kokhono Peeto
Kokhono nilo-lohito re
Kokhono Swheto
Kokhono Peeto
Kokhono nilo-lohito re

Ami age nahi jani
Kemono Jononi
Age nahi jani
Kemono Jononi
Bhabhye janomo gelo re
Shyama Ma ki amar kalo re
Shyama Ma ki amar kalo

Shyama Kokhono Purusha
Kokhono Prakriti
Kokhono Sunnyo-rupa re
Kokhono Purusha
Kokhono Prakriti
Kokhono Sunnyo-rupa re

Mayer e bhabo bhabiye Komolakanto
E bhabo bhabiye Komolakanto
Shohoje pagolo holo re
Shyama Ma ki amar kalo re
Shyama Ma ki amar kalo

Loke bole Kali Kalo
Amar mon to bole na kalo re
Shyama Ma ki amar kalo re
Shyama Ma ki amar kalo

Dakshineswar Bhavatarini Kali

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s