Quando acordei neste 1º de maio, buzinas, gritos ferozes e o hino-bufo desta nação queria cagar na cabeça do meu dia. Mas não. Peguei a caixa de som e pus minha lista de queridas no shuffle. E, de repente, dentro de casa, havia enfim a felicidade de domingo que a burrice e a violência pretendiam roubar. Aqui, agora, eles simplesmente não existem mais. Então, fica a dica. Esta: a de cultivar um pouquinho de alegria em vez de ir ao encontro da infelicidade que os ignorantes não soltam jamais. A dica não é pra ser um ato de resistência, não um gesto político, não. É só pra fazer feliz o ambiente, nossa casa, nossa gente. O mundo está precisando de alegria. Querem matar a democracia, cogitam bombas nucleares, mexem tanto no clima que podemos estar rumando para a extinção – porque o serumanito é tão ridículo, tão criançola, tão bunda-suja e regredidão que talvez não tenha mesmo salvação. Mas hoje não! Hoje estão tocando as preferidas no shuffle, e eu sinto uma onda de alegria entrando pelas janelas vizinhas. Um bom dia pra você!