Deixar tudo de lado e apenas agarrar o ‘eu sou’. Basta observar o seu poder, suas agitações, e seus movimentos que criaram o mundo, juntamente com todo esse tumulto e sofrimento. Volte ao ‘eu sou’ e deixe o ‘eu sou’ estar no ‘eu sou’. Assim, ele se torna imóvel e desaparece, e então há paz, pois só existe agora o Absoluto.

Nisargadatta Maharaj